Mostrando postagens com marcador mpb. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador mpb. Mostrar todas as postagens

domingo, 13 de agosto de 2017

Águas de Março, Maria Rita

maria rita


Mais uma vez trago como destaque Maria Rita, agora cantando uma das mais belas composições do
meu querido Mestre, Antônio Carlos Jobim, a mundialmente famosa "Águas de Março". Na letra
que com maestria foi "tecida" por Jobim utilizando um único verbo, o ser, além do uso de
antíteses nas palavras, além de alguns pleonasmos, abusando de sonoros parônimos.

Como curiosidade, lançada em um compacto simples como encarte do inesquecível
jornal  "O Pasquim"  em 1972, uma ideia do  compositor/cantor Sérgio Ricardo, propondo
o lado A com um artista consagrado (Jobim), e o lado B, com um estreante, (João Bosco).  Assim,
o "disco de bolso" recebeu título de " O tom do Jobim e o tal de João Bosco",  com Águas de Março
no lado A e  Agnus Sei  no lado B,  uma parceria com Aldir Blanc. Dois  clássicos  de nossa MPB.
Mais uma genial do  Jobim:  toda elaboração musical é  estruturada em um motoperpétuo.
Ah, e em nove de junho de 2008,  publiquei a mesma  composição de  Antônio Carlos
Jobim, Águas de Março, na voz de  Elis Regina,  mãe de Maria Rita. Apreciem. 




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


É pau é pedra é o fim do caminho
É um resto de toco é um pouco sozinho
É um caco de vidro é a vida é o sol
É a noite é a morte é um laço é o anzol

É peroba do campo é o nó da madeira
Caingá, Candeia é o Matita-Pereira
É madeira de vento tombo da ribanceira
É um mistério profundo é o queira ou não queira

É o vento ventando é o fim da ladeira
É a viga é o vão festa da cumeeira
É a chuva chovendo é conversa ribeira
Das águas de março é o fim da canseira

É o pé é o chão é a marcha estradeira
Passarinho na mão pedra de atiradeira
É uma ave no céu é uma ave no chão
É um regato é uma fonte é um pedaço de pão

É o fundo do poço é o fim do caminho
No rosto um desgosto é um pouco sozinho
É um estrepe é um prego  é uma ponta é um ponto
É um pingo pingando é uma conta é um conto

É um peixe é um gesto é uma prata brilhando
É a luz da manhã é o tijolo chegando
É a lenha é o dia é o fim da picada
É a garrafa de cana estilhaço na estrada

É o projeto da casa é o corpo na cama
É o carro enguiçado é a lama é a lama

É um passo é uma ponte é um sapo é uma rã
É um resto de mato na luz da manhã
São as águas de Março fechando o verão
E a promessa de vida no teu coração

É uma cobra é um pau é João é José
É um espinho na mão é um corte no pé
São as águas de Março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É pau é pedra é o fim do caminho
É um resto de toco é um pouco sozinho

É um passo é uma ponte é um sapo é uma rã
É um belo horizonte é uma febre terçã
São as águas de Março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Pau  edra  Im  inho  esto  oco  ouco  inho
Aco  idro  ida  ó  oite  orte  aço  zol

São as águas de Março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração


antonio carlos jobim



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Sinhá, Chico Buarque

joão bosco e chico buarque


Pela primeira vez em meu Blog, o Músico em destaque é Chico Buarque, interpretando sua composição
com a parceria de João Bosco, "Sinhá". Considerado um dos maiores nomes da Música Brasileira,
sua voz bem conhecida nos revela em grande parte da letra, a narrativa de um escravo que
em suas palavras tenta livrar-se do "tronco", acusado pelo feitor de ter visto a "sinhá"
despida  banhar-se no açude. As palavras do escravo, tentativa de convencer
seu algoz que a acusação é inverídica, não merecendo o castigo de ter o
corpo açoitado e seus olhos furados, em sua letra resume o tema
que em minha opinião denigre irrefutavelmente, a História
do Brasil: a escravidão. Em um interessante ritmo, o
Afro-Samba-Milonga, foi lançada no ano 2011.

Para ilustrar a publicação,  escolhi um vídeo
de um dos meus arquivos, gravado em estúdio com
a dupla interpretando essa comovente descrição histórica,
no qual o  violão de João mais seu mágico toque, são destaques.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final fa postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Se a dona se banhou eu não estava lá
Por Deus Nosso Senhor eu não olhei Sinhá
Estava lá na roça sou de olhar ninguém
Não tenho mais cobiça nem enxergo bem
Para quê me pôr no tronco para quê me aleijar
Eu juro a vosmecê que nunca vi Sinhá
Por que me faz tão mal com olhos tão azuis
Me benzo com o sinal da santa cruz

Eu só cheguei no açude atrás da sabiá
Olhava o arvoredo eu não olhei Sinhá
Se a dona se despiu eu já andava além
Estava na moenda estava pra Xerém
Por que talhar meu corpo eu não olhei Sinhá
Para que que vosmincê meus olhos vai furar
Eu choro em iorubá mas oro por Jesus
Para que que vassuncê me tira a luz

E assim vai se encerrar o conto de um cantor
Com voz do pelourinho e ares de senhor
Cantor atormentado herdeiro sarará
Do nome e do renome
De um feroz senhor de engenho
E das mandingas de um escravo
Que no engenho enfeitiçou Sinhá

chico buarque / joão bosco



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Caminhos Cruzados, Caetano Veloso

caetano veloso


A publicação deste primeiro dia de Agosto, é um "repeteco", Caminhos Cruzados, que foi destaque aqui
no blog em 2007, interpretada por   João Bosco.   Em meus arquivos encontrei uma deliciosa e muito
interessante, inovador e talvez ousado arranjo, que mais uma vez nos traz o imenso talento de
seu intérprete, Caetano Veloso, muitas vezes com merecidos destaques aqui em meu blog. 




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Quando um coração que está cansado de sofrer
Encontra um coração também cansado de sofrer
É tempo de se pensar
Que o amor pode de repente chegar

Quando existe alguém que tem saudade de alguém
E esse outro alguém não entender
Deixe esse novo amor chegar
Mesmo que depois seja imprescindível chorar

Que tolo fui eu que em vão tentei raciocinar
Nas coisas do amor que ninguém sabe explicar
Vem nós dois vamos tentar
Só um novo amor pode a saudade apagar


tom jobim / newton mendonça



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

sábado, 24 de junho de 2017

O Telefone Tocou Novamente, Alexandre Pires e Jorge Ben Jor



Alexandre Pires e Jorge Ben Jor, que já foram destaque aqui no Blog, estão de volta em um dueto
com a composição de Jorge, "O Telefone Tocou Novamente". Foi lançada no ano de 1970, e
é sucesso até os dias atuais na Música brasileira. O vídeo, parte do DVD "DNA Musical",
com Alexandre inovando no resgate do melhor da Música Popular Brasileira com
ótimos arranjos e tendo como convidados,  conceituados compositores do
Universo Musical Brasileiro, assim como nossos melhore intérpretes,
é por mim considerado marco no resgate da  Música brasileira.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


O telefone tocou novamente fui atender e não era o meu amor
Será que ela ainda está muito zangada comigo
Que pena que pena que pena que pena

Pois só ela me entende e me acode na queda ou na ascensão
Ela é a paz da minha guerra meu estado de espírito
Ela é a minha proteção que pena que pena que pena

Com ela eu sou mais eu com ela eu sou um anjo
Com ela eu sou criança eu sou a paz eu sou o amor e a esperança

jorge ben jor



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Lamento dos Imperfeitos, Padre Fábio de Melo e Lucy Alves

lucy alves e padre fábio de melo

Destaco na publicação de hoje sobre a Música Brasileira, um comunicador.  Professor universitário com
amplos conhecimentos filosóficos, escritor, poeta, compositor, cantor e sacerdote católico. Bem pela
imagem acima todos já sabem tratar-se do Padre Fábio de Melo, nascido na cidade de Formiga, no
Estado de Minas Gerais,  em 3 de Abril de 1971.  Com musicalidade nata, sensibilidade social e
humana,  é um intérprete que cativa seu público com mensagens em suas letras, textos de
belo conteúdo poético e literário,  objetivas e universais,  revelando ser ele um  Artista
completo.  Escolhi para ilustrar a postagem, o vídeo no qual canta em um dueto com
Lucy Alves,  "Lamento dos Imperfeitos", uma de suas muitas composições no ritmo
Regional Nordestino.  O duo chamou minha atenção pela ótima interpretação.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Não sou perfeito estou ainda sendo feito
E por ter muito defeito vivo em constante construção
Sou raro efeito não sou causa e a respeito
Da raiz que me fez fruto desfruto a divina condição

Em noites de céu apagado desenho as estrelas no chão
Em noites de céu estrelado eu pego as estrelas com a mão
E quando a agonia cruza a estrada eu peço pra Deus me dar sua mão

Sou seresteiro sou poeta sou romeiro
Com palavra amor primeiro vou rabiscando o coração
Vou pela rua minha alma às vezes nua
De joelhos peço ao tempo a ponta do seu cobertor

Em noites de céu apagado desenho as estrelas no chão
Em noites de céu estrelado eu pego as estrelas com a mão
E quando a agonia cruza a estrada eu peço pra Deus me dar sua mão

Vou pelo mundo cruzo estradas num segundo
Mundo imenso vasto e fundo todo alojado em meu olhar
Sou retirante sou ao rio semelhante
Se me barram aprofundo depois vou buscar outro lugar

Em noites de céu apagado desenho as estrelas no chão
Em noites de céu estrelado eu pego as estrelas com a mão
E quando a agonia cruza a estrada eu peço pra Deus me dar sua mão


padre fábio de melo



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

segunda-feira, 12 de junho de 2017

A Lista, Oswaldo Montenegro com Luiza Possi



" quantos defeitos sanados com o tempo, eram o melhor que havia em você "
oswaldo montenegro



O retorno de Oswaldo Montenegro ao Blog, destaca uma de suas mais belas composições que, com
sua letra nos leva a refletir sobre uma importante palavra: amizade.  Por seu estilo de entoar as
suas composições, é reconhecido mundialmente dispensamdo mais apresentações, pois já
já foi destaque aqui com Lua e Flor, Metade, Agonia, Quando a Gente Ama, Travessuras,
Me Ensina a Escrever, A Porta da Alegria e na publicação de hoje, "A Lista", em uma
interessante roupagem, que tem a participação especial da cantora Luiza Possi.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Faça uma lista de grandes amigos quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia quantos você já não encontra mais
Faça uma lista dos sonhos que tinha quantos você desistiu de sonhar
Quantos amores jurados pra sempre quantos você conseguiu preservar

Onde você ainda se reconhece na foto passada ou no espelho de agora
Hoje é do jeito que achou que seria quantos amigos você jogou fora
Quantos mistérios que você sondava quantos você conseguiu entender
Quantos segredos que você guardava hoje são bobos ninguém quer saber

Quantas mentiras você condenava quantas você teve que cometer
Quantos defeitos sanados com o tempo eram o melhor que havia em você
Quantas canções que você não cantava hoje assovia pra sobreviver
Quantas pessoas que você amava hoje acredita que amam você

oswaldo montenegro



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

sábado, 3 de junho de 2017

Quando Bate Aquela Saudade, Rubel

r u b e l 


Apresentado no Blog em um duo com a compositora e cantora Nina Oliveira, interpretando em um
interessante arranjo no ritmo  Bossa Nova,  a sua composição  "Quando vier a Primavera" , e
com trechos de "Samba da Benção", autoria de Vinícius de Moraes e Baden Powell. O
vídeo que ilustra a publicação,  traz Rubel e sua autoral  composição que tem o
título "Quando Bate Aquela Saudade", nada mais que um declarado amor.





Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


É você que tem os olhos tão gigantes e a boca tão gostosa eu não vou aguentar
Senta aqui do lado e tira logo a roupa esquece o que não importa nem vamos conversar
Olha bem mulher eu vou te ser sincero quero te ver de branco quero te ver no altar
Não tem medo não eu sei vai dar errado a gente fica longe e volta a namorar depois

Olha bem mulher eu vou te ser sincero eu to com uma vontade danada
De te entregar todos beijos que eu não te dei
E eu to com uma saudade apertada de ir dormir bem cansado
E de acordar do teu lado pra te dizer que eu te amo que eu te amo demais

Olha bem mulher eu vou te ser sincero quero te ver de branco quero te ver no altar
Não tem medo não a gente fica longe a gente até se esconde e volta a namorar depois
Que é você que tem os olhos tão gigantes e a boca tão gostosa eu não vou aguentar

Olha bem mulher eu vou te ser sincero eu tô com uma vontade danada
De te entregar todos beijos que eu não te dei
E eu tô com uma saudade apertada de ir dormir bem cansado
E de acordar do teu lado pra te dizer que eu te amo que eu te amo demais

Eu tô com uma vontade danada de te entregar todos beijos que eu não te dei
E eu tô com uma saudade apertada de ir dormir bem cansado
E de acordar do teu lado pra te dizer que eu te amo que eu te amo demais


rubel



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Casinha Branca, com Roberta Campos




Ela já foi apresentada aqui no Blog em abril, em um duo com Nando Reis interpretando a canção de
sua autoria  "De Janeiro A Janeiro".  Influenciada pela Música de Minas Gerais, pelo pop, rock e
folk, Roberta interpreta com delicada e bela voz, canções que encantam plateias com suas
letras que enaltecem o  amor, saudade, felicidade e outros sentimentos  que elevam a
alma.  O vídeo por mim escolhido para ilustrar a publicação, é sobre o clássico de
nossa cultura musical, Casinha Branca, composição da dupla  Joran e Gilson.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Eu tenho andado tão sozinho ultimamente
Que nem vejo à minha frente nada que me dê prazer
Sinto cada vez mais longe a felicidade
Vendo em minha mocidade tanto sonho perecer

Eu queria ter na vida simplesmente
Um lugar de mato verde pra plantar e pra colher
Ter uma casinha branca de varanda
Um quintal e uma janela para ver o sol nascer

Às vezes saio a caminhar pela cidade
À procura de amizades vou seguindo a multidão
Mas eu me retraio olhando em cada rosto
Cada um tem seu mistério seu sofrer sua ilusão

Eu queria ter na vida simplesmente
Um lugar de mato verde pra plantar e pra colher
Ter uma casinha branca de varanda
Um quintal e uma janela para ver o sol nascer


joran / gilson



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Passarinhos, com Emicida e Vanessa da Mata

emicida e vanessa da mata


"Enquanto Minha Imaginação Compuser Insanidades Domino a Arte"
emicida


O destaque de hoje tem o nome com uma história interessante:  é classificado  por seus colegas como
"assassino", e que "mata" os adversários com suas rimas. Seu nome é Leandro Roque de Oliveira,
nascido em São Paulo, capital, em 17 de Agosto de 1985, e é um "rapper" e produtor musical. É
na atualidade um dos maiores nomes do  "Hip-Hop"  no Brasil por suas composições, e por
suas rimas  e vitórias nas "batalhas de improvisação".  Mas vamos ao por que do nome
pelo qual ele é conhecido, Emicida, bastando juntar duas palavras,  MC e homicida
e pronto: seu nome artístico. Sua primeira aparição na mídia foi no ano de 1986
com o videoclipe "Triunfo", que hoje ultrapassa a marca de oito milhões de
visualizações no Youtube. Em 2009, estreou com o mixtape contendo
25 faixas, com um título... bem original: "Pra Quem Já Mordeu Um
Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe".  Talento.

Minha escolha para ilustrar a postagem, foi baseada no tema
escolhido por Emicida, mostrando que a boa leitura ilumina nossa
vida, abrindo novos e inusitados horizontes no processo educativo e
evolutivo, em todas, note que digo todas, as classes sociais.  O vídeo tem
como título Passarinhos,  uma alusão à atual falta de perspectiva da juventude,
que conta com a participação de Vanessa da Mata. É para pensar, mas também, agir.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Despencados de voos cansativos complicados e pensativos
Machucados após tantos crivos blindados com nossos motivos
Amuados reflexivos e dá-lhe anti-depressivos
Acanhados entre discos e livros inofensivos

Será que o sol sai pra um voo melhor eu vou esperar talvez na primavera
O céu clareia e vem calor vê só o que sobrou de nós e o que já era
Em colapso o planeta gira tanta mentira aumenta a ira de quem sofre mudo
A página vira o são delira então a gente pira e no meio disso tudo tamo tipo

passarinhos soltos a voar dispostos
A achar um ninho nem que seja no peito um do outro

A Babilônia é cinza e neon eu sei meu melhor amigo tem sido o som ok
Tanto carma lembra armagedon orei busco vida nova tipo ultrassom achei
Cidades são aldeias mortas desafio nonsense competição em vão que ninguém vence
Pense num formigueiro vai mal quando pessoas viram coisas cabeças viram degraus

No pé que as coisas vão "Jão" doidera daqui a pouco resta madeira nem pro caixão
Era neblina hoje é poluição asfalto quente queima os pés no chão
Carros em profusão confusão água em escassez bem na nossa vez
Assim não resta nem as baratas injustos fazem leis e o que resta "proceis"
Escolher qual veneno te mata pois somos tipo

Passarinhos soltos a voar dispostos
A achar um ninho nem que seja no peito um do outro


emicida



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

domingo, 7 de maio de 2017

Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor, Moska

m o s k a


A publicação destaca um "carioca da gema", violonista, compositor, cantor e ator, que veio ao mundo
em 27 de Agosto de 1967. Seu nome, Paulo Corrêa de Araújo, ficou conhecido no meio artístico
por Paulinho Moska até o ano de 2001, data de lançamento de seu disco, no qual ele usou
o termo falso sem oposição a verdadeiro:  "Eu Falso da Minha Vida o Que Eu Quiser".
A partir de então, passou a assinar suas obra como Moska, e segundo justifica,
falso é a libertação do verdadeiro, por que não existe uma verdade, e sim
verdades. A vida é explicada de maneiras diferentes e que assumem
certo sentido de acordo com seu olhar pois o o falso é cheio de
verdades possíveis. Moska não é seu nome verdadeiro, é
seu nome falso, e assim nesse disco ele assumiu o
"Moska",  por ser mais instigante,  mais sonoro.

Aprendeu a tocar  violão aos 13 anos com seu
irmão mais velho,  Músico amador  que participava
de festivais escolares  e nesse ambiente, Moska conheceu
André Abujamra,  professor de seus primeiros acordes de blues
e de rock. Bem, o fascínio pelas apresentações de seu seu irmão e o
que considero sua principal influência na Música: seu Pai, proprietário de
uma  das melhores casas noturnas do Rio de Janeiro, onde ele passou grande
parte de sua infância assistindo shows de grandes nomes da Música Brasileira. Para
ilustrar a postagem, escolhi o vídeo em que Moska canta a composição de Lô Borges e de
seu irmão Márcio Borges, Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor, uma maravilhosa poesia musicada.




Lembro que, nos links apresentados em "links para suas preferências no blog", ao final da postagem, é
possível saber mais sobre este ou outros Artistas, assim como sobre outras Músicas ou ritmos de
sua preferência, em total segurança. Naveguem e descubram o  Brasil  na  Música e na Arte.

carlos miranda (betomelodia) 


video


Cheguei a tempo de te ver acordar eu vim correndo à frente do sol
Abri a porta e antes de entrar revi a vida inteira
Pensei em tudo que é possível falar que sirva apenas para nós dois
Sinais de bem desejos vitais pequenos fragmentos de luz

Falar da cor dos temporais do céu azul das flores de abril
Pensar além do bem e do mal lembrar de coisas que ninguém viu
O mundo lá sempre a rodar e em cima dele tudo vale
Quem sabe isso quer dizer amor estrada de fazer o sonho acontecer

Pensei no tempo e era tempo demais você olhou sorrindo pra mim
Me acenou um beijo de paz virou minha cabeça
Eu simplesmente não consigo parar lá fora o dia já clareou
Mas se você quiser transformar o ribeirão em braço de mar

Você vai ter que encontrar aonde nasce a fonte do ser
E perceber meu coração bater mais forte só por você
O mundo lá sempre a rodar e em cima dele tudo vale
Quem sabe isso quer dizer amor estrada de fazer o sonho acontecer

lô borges / márcio borges



fontes
imagens: google - vídeo: youtube - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google