Mostrando postagens com marcador artes plásticas brasileiras. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador artes plásticas brasileiras. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Carlos Julião e suas Históricas Aquarelas

festival of the king, rio de janeiro, brazsil, ca. 1770's


Bem, vamos à publicação de hoje sobre as Artes Plásticas Brasileiras. Por mais incrível que pareça, já
estive em uma exposição promovida pela Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro quando ainda
adolescente, onde pude ver um catálogo com várias aquarelas que retratando trajes e
costumes  dos negros, índios e dos brancos na época colonial do nosso Brasil.
Agora, tenho o prazer de relembrar e revelar parte dessa histórica Obra.

Autor das aquarelas que constam do catálogo, nascido em Turim, Reino
de Piemonte em 1740, morreu em  Lisboa, a capital de Portugal em 1811. Artista
luso-italiano convocado pelo Exército Português como responsável pela inspeção das
fortalezas nos territórios colonizados, no Regimento Real de Artilharia do Exército Português
ingressou como tenente, mas é por suas aquarelas é que obteve notoriedade. Destaco Carlos Julião.




Como sempre faço questão de ressaltar,  ao final da postagem,  lá na série de links apresentados em
"links para suas preferências no blog",  é possível saber mais sobre outros Artistas Plásticos,
assim como sobre outros estilos de sua preferência, com total segurança, aqui mesmo
em meu  blog,  e também em meus outros espaços culturais na Web.  Apreciem.

carlos miranda (betomelodia) 




clothing style of an urban woman, rio de janeiro, brasil, 1770's

man and woman hawkers or marketers, rio de janeiro, brasil, 1770's

diamond mining, serro frio, brasil, 1770's

 sem título disponível, brasil, 1770's
 male hawkers or marketers, rio de janeiro, brasil, 1770's


festival of our lady of the rosary, rio de janeiro, brasil, 1770's

clothing of enslaved females, rio de janeiro, brasil, 1770's

clothing of enslaved females, rio de janeiro, brasil, 1770's

diamond mining, serro frio, brasil, 1770s

man and woman hawkers or marketers, rio de janeiro, brasil, 1770's

enslaved marketing women, rio de janeiro, brasil, late 18th cent








destaco: sem título disponível, sd, ca, 1770's


fontes
imagens: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

( atenção: tamanho das telas adaptados à diagramação )

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Leandro Joaquim, Suas Telas Elípticas

vista da igreja e praia da glória, 1790


O destaque de hoje sobra as Artes Plásticas Brasileiras, revela muito pouco sobre um pintor que nos
legou uma interessante obra. Mulato, provavelmente nascido na cidade do Rio de Janeiro na
época capital do Brasil Colônia, por volta de 1738, cidade na qual viveu por toda sua
vida, lá tendo morrido aparentemente no ano de 1798. Segundo registros ele
foi um discípulo de  João de Souza,  e também de  Mestre Valentim.

Autor de muitas telas com  temas religiosos para igrejas e retratos,
criou  cenários  para uma das primeiras  casas de espetáculos  na capital da
Colônia no ano de 1769. Tido por Mário de Andrade como o mais destacado pintor da
segunda metade dezoito. Teixeira Leite o considerou um dos melhores da Escola Fluminense,
tanto na técnica quanto no estilo,  sobressaindo-se  pelo desenho fluente e pelo colorido harmonioso.


revista militar no largo do paço, s.d.


Leandro nos legou oito telas em formato elíptico, seus mais famosos trabalhos que foram criados para
a decoração de um dos pavilhões do Passeio Público,  um parque criado por Mestre Valentim,
das quais  seis foram remidas,  e são parte do  acervo do  Museu  Histórico Nacional.
Nelas, paisagens do Rio de Janeiro e da Baía da Guanabara são reveladas,
estando entre as primeiras pinturas paisagísticas feitas no Brasil,
e são de grande interesse artístico, histórico e cultural.




Como sempre faço questão de ressaltar,  ao final da postagem,  lá na série de links apresentados em
"links para suas preferências no blog",  é possível saber mais sobre outros Artistas Plásticos,
assim como sobre outros estilos de sua preferência, com total segurança, aqui mesmo
em meu  blog,  e também em meus outros espaços culturais na Web.  Apreciem.

carlos miranda (betomelodia) 




pesca da baleia na baía da guanabara, s.d.

dom luis de vasconcelos e souza, 1790

vista da lagoa do boqueirão e do aqueduto de santa teresa, 1790


procissão marítima, s.d.


visita de esquadra inglesa na baía de guanabara, s.d.

imaculada conceição. s.d.





fontes
imagens: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

( atenção: tamanho das telas adaptados à diagramação )

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Facchinetti, a Grandeza de suas Paisagens

praia de copacabana, vista do forte do leme - 1872


Nicolao Antonio Facchinetti, cenógrafo, desenhista, pintor paisagista e professor, embora nascido em
Treviso, província italiana da região de Vêneto,  Itália, tem seu nome inscrito no rol dos pintores
ítalos-brasileiros por seu legado às Artes Plásticas Brasileiras  de seus históricos registros
de belas paisagens brasileiras. Nascido em 1824, faleceu na cidade do  Rio de Janeiro
no ano de 1900. Mudou-se para o Rio de Janeiro aos 25 anos, 1849, até sua morte.


facchinetti


Segundo consta, estudou desenho na cidade de Bussaro, tendo cursado pintura
na Academia de Veneza,   onde provavelmente foi influenciado pelas obras de Ippolito
Caffi e  Luigi Querena, famosos paisagistas.  Aproximadamente no ano de 1865,  pinta belas
paisagens das regiões serranas do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, não sem antes ir
em  viagens de estudos  sobre as características das paisagens  a serem transpostas para suas telas.




Como sempre faço questão de ressaltar,  ao final da postagem,  lá na série de links apresentados em
"links para suas preferências no blog",  é possível saber mais sobre outros Artistas Plásticos,
assim como sobre outros estilos de sua preferência, com total segurança, aqui mesmo
em meu  blog,  e também em meus outros espaços culturais na Web.  Apreciem.

carlos miranda (betomelodia) 




praia de botafogo

padaria francesa - petrópolis

casa da quarentena - praia grande

fazenda em teresópolis

residência da baronesa de são joaquim - teresópolis


fazenda flores do paraiso

cascata no parque lemgruber - tijuca

fazenda montalto

ilha de paquetá - baía do rio de janeiro

praia de icaraí - niterói

fazenda veneza







enseada do botafogo



fontes
imagens: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

( atenção: tamanho das telas adaptados à diagramação )

quarta-feira, 21 de junho de 2017

De Martino, Registros Históricos e Culturais do Brasil

chegada da fragata constituição trazendo d. teresa cristina - 1872


A postagem de hoje sobre as Artes Plásticas no Brasil, tem como destaque um pintor italiano. Sim, não
é engano, é sobre um militar da marinha italiana, que tinha verdadeira paixão pelos mares e pelas
embarcações que por eles singravam: Edoardo De Marino. Nascido em Meta, Itália, no ano de
1838 e morreu em Londres, Inglaterra, em 1912, estudou na Escola Naval de Nápoles e foi
atuante como  oficial da Marinha de Guerra italiana  de 1849 a 1855, e ao dar baixa, ele
mudou para Montevidéu, Uruguai, até o ano de 1868 quando então parte rumo ao
Brasil.  Fixou residência no  Rio de Janeiro  e em viagens à Porto Alegre, no
Rio Grande do Sul,  expõe sua obra e leciona pintura para  Telles Júnior.
Mas entrou em cena  Dom Pedro II,  por ocasião  da guerra contra o
Paraguai,  que o nomeou pintor oficial  com missão de registrar
a ação dos  militares  brasileiros  nos combates.  Explicado.


edoardo de martino


Assim,  pelo acima exposto,  De Marino faz parte do rol de
Artistas  que com suas pinturas,  nos legou preciosos registros
históricos e culturais de nosso País. Ele acompanhou os Almirantes
Tamandaré e Barroso, registrando em minuciosos desenhos os eventos
para posteriormente em uma série de telas divulgar as batalhas fluviais, mas
também, belas pinturas dos mares desse nosso amado Brasil.  Suas preferências
por cenas noturnas,  a minuciosidade  de suas  composições pictóricas,  fez com que
recebesse Medalha de Ouro na Exposição Geral de Belas Artes em 1870, e eleito membro
correspondente da  Academia Imperial de Belas Artes em 1871. Em 1875 parte para Londres e
é nomeado  pintor de marinhas  da corte inglesa em 1895.  A seguir,  pequena mostra de sua obra.




Como sempre faço questão de ressaltar,  ao final da postagem,  lá na série de links apresentados em
"links para suas preferências no blog",  é possível saber mais sobre outros Artistas Plásticos,
assim como sobre outros estilos de sua preferência, com total segurança, aqui mesmo
em meu  blog,  e também em meus outros espaços culturais na Web.  Apreciem.

carlos miranda (betomelodia) 




veleiro em alto mar - s.d.

navios de guerra em alto mar - s.d.

 o almirante brown chegando ao porto - s.d. 

 combate naval - s.d.


passagem do tonelero durante a guerra do prata - 1880

no tejo - 1886

batalha naval do riachuelo - s.d.

bombardeio de curuzu - s.d.

navio de guerra ao luar -1909

marinha - s.d.

porto à noite - s.d.





destaco: praia de botafogo - 1870


fontes
imagens: google - texto: carlos miranda (betomelodia)
base das pesquisas: google

( atenção: tamanho das telas adaptados à diagramação )